Xingatório da Imprensa

fevereiro 17, 2012

Manchete limpa

Filed under: Uncategorized — elpydiophragoso @ 12:39 pm

É aquela história: se os fatos não se adequam ao título, que se mudem os fatos. Apesar de o assunto ser debatido nos tribunais há dois anos, tempo mais que suficiente para todo coleguinha tirar suas dúvidas, a Folha de S. Paulo finge que ainda não entendeu a questão da Lei da Ficha Limpa e sai, nesta sexta-feira (17), com a seguinte manchete:

“Lei da Ficha Limpa vale já para as eleições deste ano”

O texto dá a entender que havia a possibilidade de a aplicação da lei ser adiada – o que não estava em discussão. O STF decidia se a Ficha Limpa valia ou não. Ponto. Mas considerar esse fato estragaria o título, então…

O Globo, pelo menos, fez mais esforço para aliar interesse jornalístico e realidade, estampando o seguinte: “Candidato ficha-suja está fora da eleição municipal”. Embora também dê margem ao entendimento de que a lei poderia valer só para depois deste ano – o que, vamos repetir, não estava em questão – pelo menos teve a decência de não usar o “já”.

Anúncios

Paralelo de Agnelo

Filed under: Uncategorized — elpydiophragoso @ 2:50 am

Que o Correio Braziliense não é muito “combativo” todo mundo sabe. A novidade é o “jornal” (com aspas mesmo) assumir sua postura de maneira tão constrangedoramente explícita como na edição desta quinta-feira (16).

Na véspera, houve o enterro de Marcelo Dino, filho do presidente da Embratur, Flávio Dino. Conta-se que, na cerimônia, com presença de inúmeras autoridades, o pai de luto desancou publicamente o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. Uma das frases que teriam sido ditas em voz alta: “Quando há esquema político na área da Saúde, não se resolvem os problemas, e as pessoas morrem.”

Flávio Dino, ex-juiz federal e ex-deputado, também teria cobrado veementemente providências a respeito das falhas no hospital que atendeu seu filho e da falta de equipamentos no Instituto Médico Legal.

Quem leu a matéria de página inteira do Correio, no entanto, imaginou um encontro de amigos fraternos:

Pai pede ajuda a Agnelo

Durante o sepultamento do filho, emocionado, o presidente da Embratur abraçou o governador, que prometeu rigor na investigação sobre a morte de Marcelo Dino. O enterro reuniu pelo menos 200 pessoas, entre elas muitos amigos do menino e autoridades

E, abaixo, a ladainha seguia, sem nenhuma menção ao tom incisivo das cobranças ou a atribuição de responsabilidade ao governador pelo estado da saúde (e da polícia investigativa) no Distrito Federal.

Um mundo paralelo que explica muita coisa.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.